02 maio, 2007

Troca de Galhardetes (F/M)

Colocou a agulheta de novo na bomba. Tanque cheio, dava para fazer mais uns 600 kms. Sem stress.

O dia estava fantastico. Um daqueles dias de Primavera, claro, moderadamente fresco, de um ceu azul intenso e luminoso.

Dirigiu-se vagarosamente ‘a area de pagamentos, saboreando o ar fresco. A zona das caixas estava calma, sem outros clientes. Apenas as duas jovens empregadas conversavam em voz baixa e arrumavem algo por detras do balcao.

Percorreu as revistas com o olhar. Naqueles dias, apetecia gastar minutos com leitura. Retirou do expositor a “Sailing Today” e a “NG Traveler”. Combinavam com a disposicao.

Olhou em volta e aproximou-se da arca das bebidas frescas. Por detras do balcao, continuava uma calma conversa entre as duas jovens. La’ fora, apenas mais um veiculo parava em frente a uma das muitas bombas disponiveis. Retirou uma coca-cola, daquelas com “full taste” e cafeina.

Rodou em direccao ‘a caixa. Bomba, 3 nao era? Olhou pelo vidro para confirmar. Com aquele carro, na maioria das bombas era sempre um numero impar.

- Bom dia! Bomba 3, por favor.
Entregou o cartao para pagamento.
- Bom dia!, respondeu sorridente a rapariga da caixa. Teria vinte anos, se tanto. Bonitinha, olho castanho escuro, bem disposta.
- E mais estes;
colocou a lata de coca-cola no balcao, e ao lado as duas revistas. Acrescentou, apenas para cobrir a espera:
- Despacho a leitura e levo ja’ estas duas d’uma penada.
Passando a lata no leitor optico, a rapariga da caixa olhou para a colega, enquanto dizia:
- Duas d’uma vez e’ sempre melhor...
E cravando os olhos nos do cliente:
- ...nao e’?

Fechou a porta do carro e colocou a chave na ignicao. O mundo e’ mesmo um sitio engracado, pensava com os seus botoes.